sábado, 11 de maio de 2019

Tormenta 20: As Comemorações de 20 anos Começaram!



Para quem ainda não sabe, ontem teve início a campanha de financiamento coletivo do novo Tormenta 20, uma nova versão do atual Tormenta RPG, com regras mais ágeis e cenário atualizado com os eventos mais recentes. Eu queria ter atualizado o blog e divulgado a campanha aqui logo que começou, mas como estava em deslocamento, voltando de viagem (sem computador e com internet oscilando), preferi deixar para divulgar hoje, com mais calma.

O que eu não esperava (e acho que a própria Jambô Editora também não) é que em menos de 24 horas a campanha tivesse batido todos os recordes! Sim, literalmente todos! A campanha Tormenta 20 já está financiada e garantida. Mais do que isso: o valor obtido já é mais de quatro vezes maior do que o inicialmente proposto! Todas as metas estendidas (prêmios adicionais que seriam incorporados caso a campanha atingisse determinadas quantias) inicialmente propostas, já foram superadas! Em menos de 24 horas! Ontem, durante a viagem, com acesso limitado no celular, eu fiquei pasmo ao ver que em 13 minutos a campanha já havia arrecadado 47% da meta -- cerca de R$ 2.892,3 por minuto! (Se minha matemática não estiver muito errada.) Mais adiante, às 13:00, olhei de novo e a arrecadação já havia alcançado 87% da meta; e não parou de aumentar o dia inteiro! Às 13:13 a campanha já havia arrecadado 107% do valor proposto -- ou seja, a meta estava batida e a campanha garantida.

O estrondoso sucesso fez com que a Jambô Editora incluísse um novo conjunto de metas a serem alcançadas que acrescentariam mais material de apoio ao novo jogo -- e até o momento em que eu escrevia essa postagem, as três primeiras já tinham sido alcançadas! Em resumo, além dos benefícios da campanha (que variam de acordo com o valor de apoio), estão incluídas como benefícios adicionais 5 novas raças (a serem decididas por voto), 4 novas classes (lutador, cavaleiro, nobre e inventor), 5 aventuras inéditas, um aplicativo oficial, um deck de magias e a ficha oficial do jogo para usar no Roll20!

Acompanhe as novidades na página da campanha Tormenta 20 no Catarse e se ainda não apoiou esse gigantesco projeto que celebra os 20 anos do cenário de fantasia mais famoso e querido do Brasil, apoie! Os valores variam entre R$ 10,00 e R$ 800,00 (e uma opção exclusiva para lojistas no valor de R$ 900,00). A partir de R$ 50,00 você já recebe o livro em formato digital e todas as metas estendidas já alcançadas em formato digital. Ah, e mesmo com o valor mínimo (R$ 10,00) você já tem o direito de votar nas enquetes e ajuda a decidir várias coisas na versão final do livro. Dê uma olhada, ajude a decidir os rumos do projeto e faça parte desta que já é a maior comemoração do RPG nacional em 2019.

sábado, 4 de maio de 2019

Alex Shi Dark

Durante a edição da Beholder Cego #18 algumas partes da matéria “Olha aí, Freguesia!” acabaram ficando de fora por uma questão de espaço, incluindo três novos estabelecimentos e as estatísticas atuais de Alex Shi Dark, o fictício dono da Estalagem do Beholder Cego. Os estabelecimentos decidi colocar lá no blog RPGista, mas as estatísticas do personagem, incluindo uma revisão de seu histórico, optei por disponibilizar aqui.

* * *

Alex Shi Dark não é artoniano. Chegou a este mundo por acidente, atravessando um dos vários portais do Deserto da Perdição, acompanhado de dois de seus colegas de aventuras, o guerreiro humano Gregor Linder Kleyter e sua irmã adotiva Nátali Shi Dark, e também o jovem grifo que lhe serve de montaria, chamado Griffyn. Juntos os amigos exploraram este novo mundo, vivendo grandes aventuras e fazendo novas amizades. Foi nesta época que conhecera Ludwig, um bardo talentoso em início de carreira que passou a acompanha-los. A vida de aventuras seguiu por alguns anos, até que o grupo conhecer Valkaria, a gigantesca metrópole de Deheon. Sem perceber, o grupo acabou criando raízes na cidade: Ludwig tornou-se um renomado artista, apresentando-se em várias tavernas e estalagens luxuosas. Nátali fundou uma organização criminosa secreta chamada de Olhos Sombrios, que atuava em prol dos mais necessitados e contra a burguesia cruel. E Alex decidiu colocar em prática um desejo antigo: criar um verdadeiro ponto de encontro para aventureiros, onde pudessem fazer contratos, trocar informações e dicas. Assim nasceu a Estalagem do Beholder Cego – cujo nome era inspirado em uma curiosa criatura que o aventureiro enfrentou em seu mundo nativo, um tirano ocular de olhos furados (que em seu mundo era chamado de “beholder”).

A Estalagem do Beholder Cego progrediu e cresceu, tornando-se uma referência entre aventureiros da região. O próprio Alex fazia questão de auxiliar jovens aventureiros iniciantes, conferindo dicas e apontando rumores que mereciam uma investigação e que pudessem render boas aventuras. Caótico e inquieto, Gregor não conseguiu acompanhar o amigo – manteve-se na vida de aventureiro, visitando a estalagem de tempos em tempos. Ludwig passou a se apresentar na própria Beholder Cego, auxiliando o novo amigo. E Nátali transformou o estabelecimento em uma espécie de “base de operações” para sua organização (que na realidade não tinha uma sede oficial). Claro, isso trouxe uma série de problemas para o estalajadeiro, mas Alex apoiava os ideais da irmã, que atuava apenas contra nobres burgueses interessados apenas no benefício próprio.

Embora famosa, a Estalagem do Beholder Cego competia com muitos grandes estabelecimentos e por isso tinha dificuldades em crescer. A coisa piorou quando uma caravana de Fortuna se hospedou no estabelecimento cujo líder, incapaz de pagar a totalidade dos custos, ofereceu um belo amuleto com formato de trevo de quatro folhas e cravejado de joias como parte do pagamento. O item parecia valioso e foi aceito na permuta. Infelizmente, porém, o objeto era também amaldiçoado e trouxe uma verdadeira maré de azar à estalagem – escadas se quebravam sem explicação, clientes sofriam acidentes incoerentes, um temporal praticamente destruiu o telhado do estabelecimento... Alex se livrou do amuleto, mas o estrago já estava feito. Os custos de reparo eram muito elevados, mas o aventureiro aposentado estava disposto a tentar.

Neste meio tempo surgiu Raven Hogarth, jovem membro de uma nobre família colleniana, em busca de oportunidades de lucro. Raven fez a Alex uma proposta: levar a Estalagem do Beholder Cego para Collen, onde sua família dispunha de recursos e estrutura onde o elfo poderia reerguer seu estabelecimento. Apesar da desconfiança inicial, o ímpeto e desejo de mudanças de Alex o fez aceitar a proposta. Decidiu, então, vender a estrutura recém reformada e mudou-se para Horren, capital de Collen, onde ele e Raven ergueram a nova Estalagem do Beholder Cego. Ludwig o acompanhou na viagem, assim como Gregor e todo o quadro de funcionários – somente Nátali optou por ficar, ainda empenhada em sua cruzada contra a burguesia de Valkaria.

Com o apoio da família Hogarth, a nova estalagem progrediu e cresceu a cima das expectativas, tornando-se uma grande referência na região. A fama local aumentou quando o jovem elfo admitiu um novo e curioso funcionário para atuar na estalagem: Bromo, um pequeno e inofensivo tirano ocular que vivia na Floresta de Kargiin Taas e ocasionalmente esgueirava-se para Horren a fim de roubar mantimentos. Nos anos seguintes, Alex Shi Dark se casou com Keylla, uma jovem quareen feiticeira e também aventureira aposentada. Juntos eles tiveram um filho, o pequeno Alex (também conhecido por Alex Kid), um feiticeiro poderoso, mas com pouco controle sobre suas próprias habilidades, famoso por cometer pequenos acidentes. Atualmente o pequeno Alex estuda na Grande Academia Arcana, onde participa da liga juvenil de Magibol. Quanto à Raven, ele e Alex ainda são bons amigos, mas os lucros acumulados com a estalagem acabaram levando o colleniano para outros rumos, fazendo dele um rico empresário.

* * *

Alex Shi Dark: humanoide (elfo), guerreiro 5/mago 5, NB; ND 10; Médio, desl. 9m; PV 60; CA 21 (+5 nível, +4 Des, +2 Esquiva); corpo-a-corpo: espada longa Kromus* +10 (1d8+7, 19-20); Fort +8, Ref +11, Von +10; For 15, Des 19, Con 13, Int 16, Sab 16, Car 14.

Perícias & Talentos: Adestrar Animais +15, Atletismo +15, Cavalgar +17, Diplomacia +7, Identificar Magia +16, Iniciativa +17, Intuição +8, Ofício (administração) +16, Percepção +16; Foco em Arma (arco curto)B, Usar Armaduras (leves, médias, pesadas), Usar Armas (simples e marciais), Usar Escudos, Fortitude Maior, Esquiva, Foco em Arma (espada longa), Magias em Combate, Reflexos Rápidos, Mobilidade, Vontade de Ferro, Mago de Batalha, Combate Montado, Treinamento em Perícia (Ofício: administração), Conhecimento Mágico.

Equipamento: espada longa Kromus (se transforma em uma espada longa +3 quando o nome é pronunciado, com duração indeterminada; quando não está transformada não gera aura mágica e é detectada como um item normal).

Magias: (nível 0) raio de ácido, detectar magia, ler magias, mãos mágicas, marca arcana; (nível 1) armadura arcana, escudo arcano, ataque certeiro, identificação, área escorregadia, sono, mísseis mágicos, arma mágica; (nível 2) flecha ácida, esfera flamejante, reflexos, força do touro; (nível 3) dissipar magia, imobilizar pessoa, bola de fogo, sono profundo. PM: 16. CD 15 + nível da magia.

Familiar: o familiar de Alex morreu há muitos anos. Mais tarde ele criou um vínculo com um grifo jovem, ainda em seu mundo nativo. Após muitos anos de convivência, a dupla desenvolveu um vínculo equivalente ao vínculo de um familiar.

Grifo Jovem: monstro 5, N; ND 4; Grande (comprido), desl. 12m, voo 24m; PV 45; CA 18 (-1 tamanho, +2 nível, +4 Des, +3 natural); corpo-a-corpo: mordida +9 (1d8+6) ou mordida +7 (1d8+6) e 2 garras +6 (1d6+6); HE: visão no escuro, bote; Fort +7, Ref +8, Von +4; For 18, Des 18, Con 16, Int 2, Sab 14, Car 8.

Perícias & Talentos: Iniciativa +12, Percepção +10; Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Treinamento em Perícia (Percepção), Foco em Arma (mordida), Ataques Múltiplos.

Bote: quando faz uma investida, pode usar todos os ataques naturais, mas sempre contra o mesmo alvo. Em investida, seus modificadores ficam: mordida +9 (1d8+6) e 2 garras +8 (1d8+6), causando dano dobrado.

Bromo: monstro 6, NB; ND 7; Médio, desl. voo 15m; PV 54; CA 21 (+3 nível, +2 Des, +6 natural); corpo-a-corpo: mordida +5 (1d6+2); à distância: raio óptico +8 toque (especial); Fort +8, Ref +7, Von +7; For 8, Des 14, Con 16, Int 10, Sab 15, Car 14.

Perícias & Talentos: Furtividade +11, Iniciativa +11, Percepção +15; Fortitude Maior, Reflexos Rápidos, Foco em Perícia (Percepção), Vontade de Ferro, Treino em Perícia (Furtividade).

Raios Ópticos: Bromo tem cinco hastes que terminam em olhos, sendo que cada olho é capaz de reproduzir o efeito de uma magia. Bromo pode usar até três olhos ao mesmo tempo, mas é muito atrapalhado e nunca lembra qual olho reproduz qual magia – por isso sempre que ele usa os raios ópticos deve-se jogar 1d20 para determina o efeito: [1-2] jogue novamente, ignorando resultados 1 e 2, mas o raio acaba afetando o próprio Bromo; [3-6] sono; [7-9] área escorregadia; [10-12] dissipar magia; [13-15] imobilizar pessoa; [16-18] raio da exaustão; [19-20] o raio não funciona. Os efeitos de sono, área escorregadia e dissipar magia são de área, por isso não exigem testes; os efeitos de imobilizar pessoa e raio de exaustão exigem um ataque de toque à distância com alcance de 24m (ou seja, o ataque é feito contra um teste de Reflexos ao invés de contra a CA do alvo).

Olho Central: com uma ação livre Bromo pode usar o olho central para gerar um cone com 4,5m de alcance. Todas as criaturas dentro do cone devem ter sucesso em um teste de Vontade (CD 15) ou ficam atordoadas por 1d3 rodadas. Bromo pode ativar e desativar o cone como uma ação livre, uma vez por turno, mas virar o olho em qualquer direção exige uma ação de movimento.

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Beholder Cego #18

Após um grande atraso, enfim a edição #18 da Beholder Cego ficou pronta. Esta edição conta com apenas uma aventura pronta, já que ela ficou maior do que eu esperava e não queria atrasar mais ainda. Nesta edição você encontra:

O Saqueador de Charadas: conheça um dos vilões mais icônicos de Allansia e algumas dicas sobre como inseri-lo em Tormenta.

Está Vivo! Está Vivo!: regras para que o mestre crie golens diferentes do padrão em Tormenta RPG -- e, de quebra, regras para personagens jogadores que querem criar seus próprios golens.

Olha aí, Freguesia!: usando as regras de negócios, algumas sugestões sobre como descrever as estatísticas de um estabelecimento.

Os Escolhidos das Chamas: a aventura continua. Segunda e última parte da aventura iniciada na BC#17.

Encontro Aleatório: um encontro diferente, sem monstros e sem combate -- ora de desafiar os jogadores, não os personagens!

Clique aqui para fazer download do mapa do Kurur Lianth, para a aventura Os Escolhidos das Chamas, em tamanho aumentado e com informações adicionais.

sábado, 13 de abril de 2019

Tormenta 20


Neste ano, Tormenta, o maior e mais jogado cenário de RPG nacional, completa 20 anos de publicação. E as comemorações começam agora, no mês de abril, quando a Jambô Editora e os autores de Tormenta lançam a campanha Tormenta 20.

Tormenta 20 é a nova edição do RPG mais amado do Brasil, com regras modernizadas e mais dinâmicas, descrição atualizada do cenário e uma nova abordagem para criação de personagens, aventuras e campanhas. Um livro básico ideal para jogadores iniciantes e ao mesmo tempo uma grande celebração para os fãs de Tormenta! Tormenta 20 renova o jogo e se mantém compatível com todo o material lançado anteriormente sob o selo Tormenta RPG.

A campanha será lançada na plataforma de financiamento coletivo Catarse no dia 10 de maio e vai oferecer ao leitor e fã a oportunidade de participar desta edição estrondosa na história do RPG. Os colaboradores poderão dar suas opiniões sobre o novo sistema, terão seu nome para sempre no livro Tormenta 20 e receberão recompensas e promoções exclusivas durante a campanha.

A Jambô Editora não vai apenas fazer um livro comemorativo. Com a ajuda dos leitores e fãs que tornaram Tormenta o cenário nacional mais jogado da história do RPG no Brasil, vai lançar o mais impressionante livro básico do RPG nacional. Tudo com os fãs, pelos fãs, para os fãs.

Mais detalhes da nova edição, mudanças no cenário, opções de jogo e novidades em geral da campanha poderão ser encontrados futuramente na página www.tormenta20.com.br (que por enquanto permite o cadastro para receber as novidades do lançamento),  além do site da Jambô Editora. A revista Dragão Brasil trará prévias exclusivas das novas mecânicas de regras, classes, raças e muito mais.

Com Tormenta 20, o ano de 2019 ficará na história do RPG nacional como “O Ano de Tormenta”!

sábado, 23 de março de 2019

Divulgação: Medalha dos Deuses - Kallyadranoch

Há algum tempo a Jambô Editora criou uma nova série de produtos ligados ao maior cenário de RPG do Brasil: as Medalhas dos Deuses, chaveiros metálicos com os símbolos dos deuses do Panteão artoniano. Já foram criadas medalhas de Tenebra, Deusa das Trevas, Vallkaria, Deusa da Humanidade, Lin-Wu, Deus-Dragão de Tamu-ra e Khalmyr, Deus da Justiça. E o próximo será ninguém menos do que Kallyadranoch, o Deus dos Dragões.

Antigamente conhecido apenas como O Terceiro, Kallyadranoch havia sido punido pelos outros deuses junto de Valkaria e Tillian por um crime cometido no passado -- crime este que culminou na origem da Tormenta, a maior ameaça ao mundo atual! Apagado da existência, Kallyadranoch permaneceu um mistério por centenas de anos, até seu retorno ao Panteão durante os eventos narrados no romance O Terceiro Deus.

Fique atento ao site da Jambô Editora para novidades sobre as Medalhas dos Deuses.

sábado, 16 de março de 2019

Divulgação: Sem Trégua Vol. 4

Um dos primeiros cenários explorados pela Jambô Editora, Reinos de Ferro chegou inicialmente ao Brasil como um suplemento para o Sistema d20 com as aventuras que compõem a Trilogia do Fogo das Bruxas. Mais tarde, o cenário foi explorado mais a fundo, com o lançamento do Livro Básico, o Guia do Mundo e o Guia de Personagens, além de três volumes de Sem Trégua, uma compilação das matérias da revista americana No Quarter, com material de suporte ao cenário. Para quem não conhece, Reinos de Ferro é um cenário de RPG que mistura fantasia e tecnologia. Aqui a clássica magia divide espaço com as máquinas a vapor, pólvora e aço.

Ainda em março a Jambô Editora traz Sem Trégua Vol. 4, um novo suplemento para os Reinos de Ferro. Serão doze artigos que oferecem suporte para mestres e jogadores. Novos equipamentos e regras para aquisição e manutenção de gigantes de ferro; um guia para a região de Wexmere e informações sobre a Ocupação Orgoth, os mistérios da Convergência Cyriss; regras para clérigos da Deusa das Engrenagens. Para completar, o suplemento terá ainda a aventura Espírito de Aço.

Sem Trégua Vol. 4 terá 80 páginas coloridas (formato 12 x 28 cm), capa cartão e o preço deve girar em torno de R$ 49,90. Visite o site da Jambô Editora para novidades e informações sobre o pré-venda.

quinta-feira, 14 de março de 2019

Noite da Tormenta: o que está por vir...

Ontem, 14 de março, ocorreu na Nerdz, em Porto Alegre, a Noite da Tormenta, um evento aberto ao público RPGista com a participação dos principais autores do cenário Tormenta: Guilherme Dei Svaldi, J.M. Trevisan, Karen Soarele, Leonel Caldela, Marcelo Cassaro e Rogério Saladino. Por mais de três horas os autores conversaram com os fãs, responderam a várias perguntas e autografaram toneladas de livros. Tinha dúvidas se conseguiria comparecer, mas consegui: estava lá no fundo, quietinho, apenas observando, tirando fotos e fazendo várias anotações (já explico o porquê). Foi uma longa e divertida conversa recheada de piadas e brincadeiras... e com algumas pequenas revelações sobre o que esperar de Tormenta daqui para frente!


Da esquerda para a direita: Guilherme Dei Svaldi, Karen Soarele, J.M. Trevisan, Marcelo Cassaro, Leonel Caldela e Rogério Saladino.
Antes de qualquer coisa, gostaria de agradecer à Jambô Editora e a Nerdz por propiciar essa oportunidade aos fãs de Tormenta. Eu, particularmente, interagi pouco com o pessoal, mais pela minha personalidade “bicho-do-mato” do que qualquer outra coisa, pois todos foram muito receptivos. O Leonel e o Guilherme já me eram velhos conhecidos, já havia tido a oportunidade de trocar uma ou duas palavras com o Trevisan, mas com os demais havia me relacionado no máximo através de e-mails e olhe lá, então foi bom pelo menos conhece-los. Mas mesmo que eu tenha me mantido quietinho no canto (como eu disse, minha personalidade “bicho-do-mato”), a alegria e empolgação dos demais fãs era palpável. Lembro que quando começaram as perguntas, o primeiro a falar foi um rapaz que estava pouco atrás de mim e deu para perceber claramente o quanto ele estava nervoso e feliz pela oportunidade de conversar com eles. Então novamente, obrigado Jambô Editora e Nerdz por propiciarem essa oportunidade, não apenas a mim, mas a todos os fãs porto-alegrenses.

Dito isso, vamos ao mais importante. Como eu disse, fiz várias anotações durante o evento, pois várias pequenas revelações foram feitas sobre o que esperar de Tormenta em 2019.

No site da Jambô Editora você pode ver o cronograma de lançamentos da editora para 2019. Se prestar atenção, contudo, vai perceber que com exceção das medalhas dos deuses, não há nenhum título de Tormenta na lista. E isso tem um motivo: este ano o cenário mais jogado do Brasil completa 20 anos e os autores e a editora estão preparando muita novidade para 2019. No máximo até abril (talvez ainda esse mês) a editora pretende revelar o que será a novidade de aniversário do cenário, qual será a comemoração – por isso fiquem atentos ao site e às redes de divulgação da editora para novidades. E fiquem atentos à hashtag #tormenta20 – essa será a hashtag oficial dos 20 anos de Tormenta.

Lembra do Guia da Trilogia? Um suplemento que apresentava a Trilogia Tormenta (O Inimigo do Mundo, O Crânio e o Corvo e O Terceiro Deus, todos escritos por Leonel Caldela) em regras para Tormenta RPG? Pois bem, A Flecha de Fogo, novo romance do Leonel, contará com um suplemento parecido. Parecido, mas também diferente. Segundo as informações, o tal suplemento (que ainda não tem título) será menos focado em regras e mais em cenário – mais algo como um suplemento sobre Lamnor do que uma adaptação de fichas e regras. O próprio Leonel admitiu já ter meia dúzia de rabiscos no celular, mas não há nada concreto. Embora esse suplemento esteja nos planos, não deve ser algo para breve.

Regras, aliás, não parecem ser o foco central dos próximos títulos de Tormenta. Ficou bem claro para mim que neste momento os autores estão muito mais preocupados com o que chamaram de lore do cenário do que com regras. Tormenta cresceu, se moveu, muita coisa aconteceu nestes últimos anos. Não é mais um cenário estático, mas um mundo vivo em constante mudança – heróis e vilões morreram, novos heróis e novos vilões surgiram, guerras foram travadas, coroas foram partidas... O suplemento O Reinado, um dos maiores suplementos a descrever Tormenta em termos de cenário e praticamente sem regras, está hoje muito ultrapassado – e isso não passou despercebido. Novidades nesse sentido devem surgir em breve.

A hora dos autógrafos.Outra coisa que mencionada ao longo do evento foi uma sugestão de que Lucas Borne, autor do Manual do Arcano, Manual do Malandro e O Labirinto de Tapista, “poderia ou não” estar trabalhando em material relacionado a Doherimm, o reino dos anões. Não foram divulgadas informações mais detalhadas, mas eu esperaria por material sobre o reino subterrâneo em breve.

Quem acompanha a Dragão Brasil já deve ter ouvido falar sobre as “regras 2.0”, um conjunto de regras alternativas para TRPG sugeridas pelo Guilherme Svaldi. Quando tais regras foram mencionadas muitos dos autores parecerem... desconcertados. Pelas brincadeiras e sugestões, eu diria para os fãs ficarem espertos, pois regras alternativas ou uma atualização na mecânica de algumas regras pode estar se aproximando. Particularmente sou sempre resistente a mudança de regras; com relação àquelas que foram divulgadas até o momento, a maioria acho legal, exceto pela de Pontos de Magia para todas as classes. Já falei um pouco sobre isso na postagem sobre Império de Jade, mas a verdade é que não gostei muito das raças e classes 2.0 divulgadas na DB. Já as mudanças nas perícias e nas magias, achei ótimo. Mas é uma questão de opinião, talvez nem vire regra oficial, talvez acabe se tornando apenas uma regra variante. Teremos que esperar e ver o que vai acontecer... mas eu esperaria por algo em breve.

Algumas perguntas dos fãs geraram respostas evasivas . Quando perguntados se material sobre o Deserto da Perdição estava nos planos, a resposta foi apenas um Sim – seguido de risadas e brincadeiras, claro. Também houve perguntas relacionadas à tempestade rubra – se a Tormenta conseguiria se tornar um deus maior no cenário. Também gerou respostas evasivas. Baseado nessas respostas e em outros pequenos comentários ao longo da conversa, bem como algumas revelações rápidas e vagas na Dragão Brasil, somado à clara preocupação dos autores com o lore (a parte descritiva do cenário, sem regras) comecei a fazer algumas suposições.

Minha primeira suposição é de que em breve podemos ver publicado mais um velho suplemento prometido, mas nunca concluído: Além do Reinado. Não sei se este era um título oficial ou inventado por fãs, mas o fato é que um suplemento semelhante a O Reinado, mas descrevendo as regiões fora da coalizão de reinos fazia parte dos planos dos autores há muito tempo, mas acabou nunca saindo. Baseado em tudo o que ouvi ontem e tudo o que tenho lido (incluindo uma notícia na Gazeta do Reinado sobre aventureiros explorando a região norte de Arton), começo a ter esperanças de vê-lo publicado, ao lado de uma revisão d’O Reinado. Claro que hoje seria necessário que tais suplementos tivessem outros títulos: hoje a região civilizada de Arton é dividida em três coalizões – o Reinado, o Império de Tauron e a Liga Independente. Portanto, os nomes O Reinado e Além do Reinado perderiam sentido – Guia do Mundo (Civilizado e Selvagem, talvez?) ou Atlas Artoniano (volumes 1, 2, 3, etc.) são nomes que me agradariam mais.

Outra coisa que me deixou com a pulga atrás da orelha foram as respostas evasivas sobre a tempestade rubra. Desde o fim da Trilogia Tormenta, os lefeu, habitantes da Tormenta, têm permanecido quietos, sem se envolver nos grandes eventos que tem ocorrido em Arton. Essa característica do cenário deixou de ser explorada. Isso me deixou tão encucado que me incentivou a desenvolver aqui na Beholder uma série de aventuras focadas na tempestade rubra (aventuras essas que você acompanha desde a BC#14). Porém, baseado em tudo o que ouvir e na reação dos autores, algo me diz que os lefeu não permanecerão quietos por muito tempo...

Quem teve o prazer de acompanhar as publicações mais recentes da Jambô Editora deve ter percebido que dois dos seus últimos lançamentos – Império de Jade e Reinos de Moreania – vieram totalmente em cores. Como editor-chefe da Jambô, Guilherme Svaldi deixou claro que novos títulos de peso com tal padrão de qualidade estão nos planos da editora, bem como títulos menores, mais enxutos, mais baratos e de acesso mais fácil aos fãs de menor poder aquisitivo. Me pergunto se está nos planos lançar o mesmo título em duas versões, uma mais simples, resumida e barata e outra mais completa e elegante. Não acho provável... mas quem sabe?

Em resumo, a Noite da Tormenta foi um evento divertido e cheio de novidades. Ficou claro que os autores não pretendem deixar os 20 anos de Tormenta passar em branco. Os fãs que gostam de Tormenta como cenário de fantasia mais do que como cenário de RPG (ou seja, gostam da parte descritiva) terão muitos motivos para ficar felizes, pois essa parece ser uma das partes mais em foco nas próximas publicações. Muita coisa está sendo desenvolvida e muita novidade interessante está por vir.


Momento fã no final do evento: Leonel Caldela, J.M. Trevisan, Marcelo Cassaro, eu mesmo, Rogério Saladino, Guilherme Dei Svaldi e Karen Soarele.Arton cresce a cada instante nas mãos de seus autores e nada vai deter esse crescimento – nem mesmo tiro no peito! E que assim seja! Que Arton cresça, que novidades venham, que Tormenta seja reconhecido e invada todos os meios de entretenimento – quem sabe uma série ou filme num futuro distante? Porque não? Quem poderia imaginar que um anexo de 80 páginas lá na Dragão Brasil #50 viria a dar origem a quadrinhos, mangás, romances, jogo eletrônico...! De minha parte, torço para que um dia o J.M. Trevisan possa fazer seus “X” em uma lousa e que possamos todos um dia encontrar em uma lojinha uma caixa de bonecos piratas com o Wolverine, o Homem-Aranha, o Batman... e o Mestre Arsenal!

Vida longa à Tormenta!

Fiquem atentos ao site da Jambô Editora para novidades em breve e lembre-se de procurar pela hashtag #tormenta20.